sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Saudade

 

Saudades de quando as pessoas pareciam mais legais;
as amizades mais verdadeiras;
o amor mais prazeroso;
o segredo mais bem guardado;
a gratidão mais demonstrada; o respeito mais considerado;
o aperto de mão mais firme;
o abraço mais apertado;
o silêncio mais calado;
o público menos "privado";
o sorriso mais natural; a suavidade mais leve;
as brincadeiras mais inocentes;
o lazer mais divertido;
o papo mais variado;
as pessoas mais informadas;
a liberdade mais liberta;
a certeza menos questionável;
a confiança menos insegura,
Enfim...
Saudades de ver o mundo com os olhos ingênuos de criança e não conseguir enxergar toda maldade e mesquinhez disfarçada.
Crescer tem um preço:
ter que encarar o mundo com tudo que ele oferece de bom
e ruim.

Jessica Alves

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Realidade






Nem sempre a realidade se apresenta na forma daquele lindo sonho. Mesmo sem querer, criamos expectativas para tudo na vida. Todo mundo espera pelo príncipe encantado, pelo trabalho dos sonhos, pela família de comercial de margarina light, pelo cabelo da modelo no comercial de shampoo, pelos milagres prometidos nas capas de revista. Mas o dia a dia pode ser duro, o mundo real pode se mostrar um pouco mais cruel que os sonhos adocicados. Frequentemente esquecemos que a perfeição só existe naquele filme que está em cartaz no cinema pertinho da sua casa. Não entendo essa nossa mania desumana de querer que tudo seja sempre especial, único e intenso. A rotina não tem nada de bonita. As pilhas e pilhas de relatórios em cima da sua mesa só acumulam. O cachorro continua fazendo xixi na perna do sofá. O telefone continua sem tocar. Você segue esperando alguma coisa boa cair do céu no seu colo macio e sedoso.

Será que o erro não está aí dentro? Será que não é a hora certa de rever atitudes, pensamentos e conceitos? Será que não estamos querendo um mundo ideal e por vezes esquecemos que muitas coisas estão, sim, em nossas mãos e que outras tantas não dependem de nós? Será que esquecemos que, sendo seres imperfeitos, não podemos cobrar a perfeição dos outros? Será que não queremos frios na barriga diários, fogos de artifício e trilhas sonoras para momentos simples? Será que não estamos cegos?

Coisas boas acontecem todos os dias, é só abrir os olhos e o coração para a infinidade de pequenas alegrias. Não adianta buscar emoção, sonho e fantasia se você não sabe fazer um momento aparentemente simples virar especial. Tudo está dentro de nós e eu te garanto que isso não é papo para boi dormir. Não espere grandes acontecimentos, aprecie tudo que a vida oferece com um sorriso no rosto. Não espere uma cena de filme, faça e viva a sua vida da forma que puder e souber. Mas entenda que os melhores momentos acontecem quando estamos distraídos pensando que a vida do outro é bem mais interessante que a nossa.

  Clarissa Corrêa

sábado, 19 de outubro de 2013

Aprendendo...




Aprendi que duas pessoas discutindo, não quer dizer que se odeiam. Que duas pessoas felizes, não quer dizer que se amam. Que o mundo dá voltas e a vida é uma sequência de desafios. Que algumas feridas saram, outras não. Que quem vive do passado é museu. Que quem vive do futuro, não vive, Sonha. Que com a pessoa certa, uma vida é pouco tempo. Que com a pessoa errada, um minuto é muito. Que mesmo acompanhado, ainda posso estar só. Que caráter vem do berço, não se compra. Que Amor não se exige, se dá. Que meus amigos eventualmente vão me machucar, são humanos. Que um ato pode mudar toda uma vida. Que nem toda uma vida pode mudar alguns dos nossos atos. Que o importante pra mim, não é pra outros e isso não é defeito. Que a decência é uma prática diária. Que humilhar é a pior das covardias. Que a capacidade de amar é nata, não depende de terceiros. Que a beleza está nas boas coisas da vida,até nas mais simples. Que tudo muda para melhor ou para pior mas muda.Que nada é pra sempre, então aproveite enquanto dure.         

sábado, 8 de junho de 2013

Eu sou...

"Eu sou do mato, sou da brisa. Sou da relva, da montanha, da água, dos pés descalços, do simples, do café quentinho no bule, do olhar pela janela. Do dia amanhecer com a canção dos pássaros, da prosa leve, da pipa no céu, do sorriso da criança. Da canção na viola. Sou das árvores, das flores, de colher a fruta no pé, do animal de estimação, da amizade gratuita, do amor comprometido, do bilhetinho,de mãos dadas, de comer lambuzando os dedos. Do vestidinho leve, da chinela no pé. Sou do tempo em que o amor fazia a festa homem. Sou da fase da fidelidade, do poema livre da gramática mas preso à sensibilidade. Sou do tempo da paz, sou tal como diz a canção: Por tanto amor, por tanta emoção a vida me fez assim. Me desculpa mundo, mas sou do tempo da inocência, dos sonhos e da alegria."

(Ita Portugal)


sexta-feira, 10 de maio de 2013

Felicidade....





"Que a felicidade não dependa do tempo, nem da paisagem, nem da sorte, nem do dinheiro. Que ela possa vir com toda simplicidade, de dentro para fora, de cada um para todos. Que as pessoas saibam falar, calar, e acima de tudo ouvir. Que tenham amor ou então sintam falta de não tê-lo. Que tenham ideais e medo de perdê-lo. Que amem ao próximo e respeitem sua dor. Para que tenhamos certeza de que: “Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade”."

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 26 de março de 2013

É preciso...



É preciso viver o sonho e a certeza de que tudo vai mudar.
É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os desejos não precisam de razão, nem os sentimentos, de motivos.
O importante é viver cada momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem sabe ver.